Sónia Paixão: a partir da sede da nossa empresa

Depois de uns meses ausente, em licença de maternidade, e depois de a entrevistarmos há 4 anos atrás, voltámos a falar com esta colaboradora da Aupper.
Sónia Paixão: a partir da sede da nossa empresa
  • Sónia Paixão acompanha a evolução da Aupper em Portugal quase desde o início. Em 2017 esteve um pouco mais afastada, dado o nascimento do segundo filho, mas quando voltou foi contagiada pela energia dos novos colaboradores.

    “Os novos comerciais têm uma energia e uma dinâmica fantásticas. É muito bom este equilíbrio entre profissionais experientes e novos. Os primeiros inspiram e guiam os novos comerciais e os segundos trazem o entusiasmo e novas ideias, que é contagiante e crucial no processo de venda.”

    Quisemos perceber o que mudou na Aupper desde que a entrevistámos para o vídeo da empresa, em 2014.

    “Desde que fui entrevistada, as principais inovações são ao nível das Obras. Cada coleção tem hoje mais qualidade editorial, os temas, os layouts e as informações disponibilizadas são, sem dúvida alguma, mas atrativos, bonitos e completos”. Na verdade, “os clientes também são mais exigentes. E ainda bem.”

    Muitos dos clientes da Aupper são famílias altamente fidelizadas à empresa, e este mecanismo de novidade – novas obras, novos temas, novos materiais – “é muito importante na nossa dinâmica comercial”.

    Sobre a sua particular experiência de colaboração, ao longo dos últimos 10 anos, refere que esteve “fora da sede, em Lisboa, apenas alguns dias para formação da área administrativa no Porto – essencialmente antes e após a Natália Magalhães assumir esse papel”.

    Também, durante um determinado período colaborou, de forma mais próxima e permanente, com a Direção Executiva da empresa. Sublinha que foi uma experiência essencial “para compreender de forma mais aprofundada o funcionamento da Aupper e de áreas que acabam por ser complementares ao meu trabalho diário.”

    No entanto, “gosto mais desta área administrativa e de atendimento pós-venda, porque tenho mais contacto com diferentes pessoas no meu dia-a-dia, é mais dinâmica.”

    E para o futuro?

    “Mais obras e mais ofertas!”